sexta-feira, 17 de julho de 2015

SOLIDÃO...

O que é solidão?
Para quem já foi deixado pelo próprio pai?
Para um Deus que sentiu-se humano,
E quem sabe por um minuto sentiu-se mortal.
O que é sentir-se abandonado para quem conhecia todas as pessoas do mundo?
Sozinho? Solidão? Abandonado?
Você não sabe o que é nada disso!
Você não viu seu pai calar quando deveria em alta voz te defender
E te salvar da morte!
Seu pai não consentiu em você pagar por um crime que não cometeu!
Não me fale de abandono, se eu vi o mundo desprezar seu criador!
Eu O vi chorar olhando para nós
E nós? Simplesmente viramos as costas,
Quando deveríamos correr para debaixo de suas asas!
Solidão? Não existe!
Você até pode sentir-se só,
até pode sentir-se abandonado,
ELE sabe o que foi estar sozinho!
Por isso mesmo prometeu sempre estar perto,
para nunca experimentarmos de verdade o que é solidão...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

QUANDO NOS TORNAMOS TÃO CÉTICOS?

Quando nos tornamos tão céticos?
Desde quando para tudo precisamos de explicação?
Desde qual dia a nossa fé se tornou menos que nossa razão?
Alguém pode me dizer a data? O dia? Qual foi mesmo o mês? O ano?
Será que só eu choro sozinho em casa, ouvindo 10 vezes a mesma canção?
A partir de qual momento nos tornamos tão vazios?
Eu sei o porquê. E na verdade sei que isso é preciso.
Mas, vocês teólogos, doutores respondam-me em qual maldito momento nos tornamos tão terrenos.
 Falamos de coisas terrenas. Tornamo-nos aquilo que sempre lutamos contra.
 O amor esfriou? Eu sei. Acreditem: sei mais disso que vocês.
Meu coração e alma insistem em arder quando ouço algo relacionado a DEUS.
Diversas vezes estou em uma igreja lotada, mas sinto que está tudo errado.
Não deveria ser assim. Vou continuar sozinho, sentindo saudades de cantarem e eu sentir a presença DELE.
Não quero ouvir esse “louvor” tão medíocre. Se eu que sou pó e cinza, tenho vontade de vomitar, imagine ELE.
Estarei em casa. Ouvindo aquela canção pela 11ª vez, mas não a última.
Não deserdei. Nem tão pouco vou deixar de ir às nossas reuniões. Apesar de ter convicção de que elas não passarão disso.
Estarei em casa. Se alguém me ouvir. Se alguém sentir a mesma coisa. Você não está sozinho.
Não estamos sozinhos.
Procure-me. Vamos chorar, cantar, gritar juntos, como já o fiz com tantos que aqui já não estão.
Seremos perseguidos.
Não importa: ELE foi também...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

quinta-feira, 7 de abril de 2011

A ÚLTIMA LÁGRIMA

E se a lágrima rolar?
Se não houver motivo pra sorrir?
Quando a tristeza chegar,
O que te motivará a prosseguir?

Quando seus pais se forem?
E seus filhos também?
E perceber que espinhos crescem entre as flores,
E você se sentir ninguém?

O que fazer se a vida é passageira?
Se tudo termina?
E na sua vida inteira,
Não foi feliz ainda?

O que fazer se sua alegria for tirada?
E na multidão, você estar sozinho?
Perceber que a vida não vale nada,
Sem Jesus neste caminho?

Sozinho ao abrir sua janela,
E ver o sol brilhando,
Ao ouvir uma canção bela,
A ver uma criança nascer chorando?

Sem Jesus, não há sentido!
Sem Deus não há sorriso!
Pois só ele é verdadeiro abrigo!
Digas hoje: “Jesus de ti eu preciso!”

Se a vida te feriu,
Seu (sua) melhor amigo (a) lhe deixou?
E uma dor no peito abriu?
Mas o verdadeiro amigo não te abandonou!

Hoje você chora,
Por seus sonhos não serem realidade!
Hoje sei que implora,
À procura da felicidade!

Jesus está nos meus versos,
Basta apenas uma decisão,
Digas: “Jesus a ti confesso,
Perdoa meus pecados, dá-me salvação!”

Cristo te perdoa,
Enxuga teu pranto,
É a última lágrima. És uma nova pessoa,
Ele morreu por você. Ressuscitou. Pois nos ama tanto, tanto...!

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL (EBD)

Somente aqui,
Na escola dominical,
Eu aprendo a ser feliz,
Com meu pai celestial.

Aprendo a cantar,
A ser obediente,
Aprendo a não faltar,
A escola mais contente.

Aqui eu me dedico,
A fazer minha lição,
Descobri que sou rico,
E no céu tenho galardão.

Nessa escola eu aprendo,
Um pouquinho de tudo,
Sei que vou crescendo,
Na melhor escola do mundo.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

quarta-feira, 24 de junho de 2009

JOVENS, ESPERANÇA DE CRISTO...

O mundo está ai fora,
Há pessoas chorando,
Vendo seus sonhos ir embora,
Com seus corações de dor sangrando.

É violência, tristeza, e pranto,
Vindas que não sabem pra onde vão,
Se enganando tanto,
Sem saber que há perdão.

Há uma voz que diz,
"Vinde todos a mim,
Quero-vos fazer feliz",
Mas essa voz eles não podem ouvir.

Quem irá?
Elas necessitam de paz,
Quem pode pregar,
Tirá-las da escuridão que no mundo se faz.

Jovem! De Cristo somos a esperança,
Ajudai os que estão entregues à sorte,
Salvai os que são levados à matança,
Livrai os que estão destinados à morte...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

SERÁ MELHOR...

Esse ano foi marcado por tanto caos,
Assistimos atônitos a tanta desgraça,
Um ano no qual se manifestou o mal,
Mas no qual Deus derramou da sua graça.

Um tempo de colheita,
Bênçãos lá da glória,
Par a geração eleita,
Depois de lutas, mas muita vitória.

Muita coisa aconteceu,
Para a Bíblia se cumprir,
Talvez o mundo não entendeu,
Mas não vamos ficar aqui.

Há para nós lugar,
Com amor preparado,
Onde vamos habitar,
Pois por nós alto preço já foi pago.

O amanhã será melhor,
Há muito que conquistar,
E Deus não deixará nenhum de nós só,
Conosco ele sempre estará.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

UAADERB (União de Adolescentes das Assembleias de Deus em Rio Branco)

Vi uma senhora,
Que estendia-me a mão,
Uma criança do seu lado chora,
Partiu-me o coração,
Uma sociedade que implora,
Não só por um pedaço de pão.

É uma sociedade que clama,
Não conhecendo o Senhor,
Geração que nos chama,
A levar-lhes Jesus, o Salvador,
Que vivem num poço de lama,
E não conhecem o que é o amor.

Mundo faminto,
De ouvir a verdade,
Mundo aflito,
Por não ter felicidade,
Grande é o grito,
Nos quatro cantos desta cidade.

Rio Branco é um campo,
Que branco já está,
Essas almas, em pranto,
Jesus quer salvar,
Ele lhes ama tanto,
Pois até a vida, por eles veio dar.

A UAADERB são os mensageiros,
Que Deus já levantou,
Entregamos-nos por inteiros,
À vontade do Senhor,
Somos também guerreiros,
E a nossa batalha Cristo já ganhou.

Somos UAADERB, somos crentes,
Por nós Cristo também morreu,
Somos jovens, somos valentes,
Somos fortes, por isso Deus nos escolheu,
Somos adolescentes,
E o diabo já perdeu.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/